BOCUSE D’OR

Na segunda edição do Sirha Rio, o Bocuse d’Or inovou mais uma vez e realizou o concurso Bocuse d’Or Seletiva Regional Brasileira. O objetivo é revelar os quatro melhores chefs brasileiros para disputarem a Seletiva Nacional, em 2017, ano em que a competição criada por Paul Bocuse completa 30 anos.

O concurso aconteceu durante o Sirha Rio - maior evento de gastronomia, hotelaria e foodservice do mundo, no maior centro de convenções da América Latina, o Riocentro, no dia 5 de outubro.

Para ano passsado, o jovem chef carioca Thomas Troisgros assumiu a presidência técnica do concurso, ao lado de Laurent Suaudeau. Para dar mais peso ao júri, tivemos a participação do chef franco-canadense Normand Laprise que, como disse ao ser convidado por Thomas, sentiu-se honrado em participar dessa empreitada e aceitou a missão de agitar a juventude da gastronomia brasileira.

Chef Presidente do Comitê Bocuse d’Or


Thomas Troisgros

Conheça os chefs que compõem o Comitê Regional de Organização :


Andrews Valentim

Onildo Rocha

Victor Vasconcellos

Fred Trindade

Marcelo Schambeck

David Jobert

Bruno Rappel


Conheça os candidatos selecionados:

Currículo

Currículo

Currículo

Currículo

Currículo

Currículo

Currículo

Currículo
vencedores do bocuse d'or 2016

Luiz Filipe de Azevedo e Souza (São Paulo – SP), Ricardo Dornelles (Porto Alegre – RS), Marcelo Milani (São Caetano do Sul – SP) e Danilo Takigawa (Presidente Prudente – SP) foram os selecionados pela etapa regional do Bocuse d’Or. O júri responsável pela escolha contou com o chef canadense Normand Laprise (Toque! e T! Brasserie – Montreal) como presidente e Geovane Carneiro (D.O.M – São Paulo) como presidente de honra. Os outros jurados foram Giovanna Grossi (chef consultora – Maceió), Agenor Maia (Olivae - Brasília), Leo Paixão (Glouton – Belo Horizonte), Manu Buffara (Restaurante Manu – Curitiba) e Maria do Céu Athayde (chef consultora – Manaus). Laurent Suaudeau é o presidente do Bocuse d’Or Brasil e Thomas Troisgros assumiu a presidência técnica desta etapa regional. Para ajudá-lo a garimpar jovens e promissores talentos da gastronomia pelo país, Thomas convocou chefs dos quatro cantos do Brasil, que também estiveram no Riocentro para acompanhar de perto a competição. Foram eles: Andrews Valentim (Escola da Arte Culinária Laurent - São Paulo), Bruno Rappel (Professor de Gastronomia no Centro Universitário - Brasília), Onildo Rocha (Grupo Roccia - João Pessoa), David Jobert (L'Atelier du Cuisinier - Rio de Janeiro), Fred Trindade (Trindade - Belo Horizonte), Marcelo Schambeck (Del Barbiere - Porto Alegre) e Victor Vasconcellos (Bar Número e Feed Food - São Paulo).

“Um concurso como este tem a função de fomentar a gastronomia brasileira e descobrir estes talentos que vimos aqui hoje. Foi muito bom ver o comprometimento e a qualidade de chefs tão jovens”, avaliou Thomas Troisgros.

Cada candidato teve 2h30 para preparar um prato com o pernil de cordeiro, o ingrediente obrigatório do concurso. Luiz Felipe de Azevedo e Souza preparou o pernil de cordeiro com três tipos diferentes de aromas de cidreira e envolto em crosta de pistache. O acompanhamento foi rabanete infusionado com amburana e glaceado com manteiga defumada, "pannacotta" acidulada de capim santo e absoluto de batatas. Já Ricardo Dornelles fez o mosaico de pernil de cordeiro com carvão vegetal, bombom de queijo feta e beterraba, batata bouchon moderna, recheada com purê de batata aerado, flan de couve-flor defumada e molho roti de cordeiro. O prato do chef Marcelo Milani foi o pernil de cordeiro ao molho de cogumelo yonomami e lascas de castanha-do-pará guarnecido de feijão manteiguinha, canolli de mandioquinha recheado de creme de cebola e pimenta baniwa, pupunha fondant com creme de sálvia, creme de pinhão e limão confit. Por fim, a receita de Danilo Takigawa foi o pernil de cordeiro desossado, salsa de cupuaçu, purê de milho verde defumado, espinafre e mini beringela tostada na chapa, vinagrete de cambuci.



COMPARTILHAR ESTA PÁGINA: