Pirarucu de Rondônia será apresentado em feira internacional de gastronomia no Rio

01/10/2015 | Fonte: Rondônia Dinâmica

Clique aqui para ler a matéria direto da fonte.

A feira internacional dedicada aos profissionais de hotelaria e alimentação, Sirha, que acontece no Rio de Janeiro de 14 a 16 de outubro, terá a presença do professor de gastronomia e cheff de cozinha Marchelmo Bacchin representando Rondônia e seus produtos, em especial o pirarucu e preparos usando insumos da região amazônica, como o cupuaçu, o jambu, o açaí, a castanha e a farinha d’água.

A Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri), em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e Associação Brasileira de Bares e Restaurantes de Rondônia (Abrasel-RO), enviará o professor de gastronomia, turismo, hotelaria e cheff de cozinha que vai apresentar diversos pratos usando o pirarucu, temperos e acompanhamentos exclusivamente produzidos em Rondônia, no estande do Sebrae do Rio de Janeiro.

A Sirha (www.sirha-rio.com) é o evento internacional para a indústria de buffet e hotelaria, que desde 1983, ano de sua criação na cidade francesa de Lyon, apresenta aos profissionais do mercado de hotelaria e de serviços de alimentação de nível internacional o que há de novo no mercado, e “possibilita a apresentação de iguarias gastronômicas como as que vamos levar para apreciação e degustação dos grandes cheffs de padrão internacional. Acredito no sucesso, pois o pirarucu é o peixe que mais aceita preparações e substitui com vantagem o bacalhau e similares”, afirma o cheff Marchelmo.

Daniel Resende, presidente da Abrasel-RO, garante que a estratégia de capacitar chefes de cozinha de grandes restaurantes e qualificar o atendimento (garçons e atendentes) em todas as grandes cidades do país para oferecer pratos com os produtos de Rondônia, especialmente o pirarucu, é a melhor alternativa para difundir nosso pescado lá fora e em todos os municípios do Estado. “Por isso contratamos o cheff Marchelmo, para levar receitas, realizar palestras, treinamentos e os selos ‘Produto de Rondônia’ e ‘Peixe de Rondônia’”, afirma Resende.

O secretário da Seagri, Evandro Padovani, explica que Rondônia é o maior produtor de peixe nativo em cativeiro do Brasil. “Já estamos exportando para 12 estados, mas queremos ampliar nossa clientela. Eventos como a Sirha, no Rio de Janeiro, são perfeitos para apresentarmos nossos produtos e levarmos o ‘Selo de Rondônia’, mostrando a nossa qualidade”, avalia.

Rondônia produz diversos produtos com padrão de pureza e qualidade acima da média, como é o caso dos peixes nativos tambaqui e pirarucu. “A temperatura da água dos nossos criadouros (tanques forrados e tanques-redes) é constante, pois não temos as variações das demais regiões do país que oscilam de acordo com as quatro estações do ano. Por isso, nossos peixes crescem mais rápido e mantêm o sabor e a textura mais consistentes”, comemora Padovani.

Estas características e os incentivos governamentais veem atraindo grandes empresas locais e, principalmente, do Sudeste e Sul para Rondônia. Junto aos três frigoríficos de pescado já atuando no Estado. “Mais quatro outros estão em implantação e construção, garantindo assim a cadeia produtiva e de distribuição para os 52 municípios e também para todos os estados do Brasil, que são parceiros e também os que estamos captando”, pontua o secretário da Seagri, que complementa: “estamos de olhos bem abertos para os mercados externos, como América do Norte, Europa e países da Ásia e da América Latina”.