BOCUSE d’Or no SIRHA SP 2018 – ETAPA SELETIVA PARA LYON 2019

27/05/2017 | Fonte: Sindal

Clique aqui para ler a matéria direto da fonte.

A ETAPA IRÁ DEFINIR A EQUIPE DE TALENTOS DA GASTRONOMIA BRASILEIRA NO SÃO PAULO EXPO 2018

Criado em 1987 por Paul Bocuse, o Bocuse d’Or reúne a cada dois anos, em Lyon, França, 24 promissores jovens chefs dos cinco continentes. Os finalistas são determinados após dezoito meses de etapas seletivas, em 63 países. Mais que uma mera competição, o Bocuse d’Or é um verdadeiro show de talentos da gastronomia.

Na edição do Sirha Lyon, em 2017, o concurso completou 30 anos.

Considerado inovador desde sua criação, foi o primeiro concurso em que os candidatos preparavam o prato ao vivo, em frente à plateia e aos jurados.

Cozinheiros do Brasil comemoraram a vinda do SIRHA para o Brasil, já que a feira é a responsável pela realização da maior competição de profissionais de gastronomia e patisseria do mundo. A terceira edição acontecerá em São Paulo, nos dias 14 ‘a 16 de março de 2018, no São Paulo Expo, hoje o pavilhão mais moderno do Brasil para feiras e exposições e eventos.

 

O lendário chef Paul Bocuse (90), é o criador do maior concurso de gastronomia do mundo: o Bocuse d’Or, conhecido como a Olimpíada da Gastronomia, sempre realizado dentro da feira de negócios Sirha, organizada pela francesa GL events.

Um dos mais relevantes cozinheiros da França é um dos criadores da “nouvelle cuisine“, movimento que revolucionou a gastronomia pregando leveza aos pratos. É o único chef a deter três estrelas Michelin, a tradicional publicação que elege os melhores restaurantes e hotéis do mundo, por 50 anos ininterruptos. Paul é referência em excelência e todo esse reconhecimento lhe rendeu o título de melhor chef do século 20.

Até 2016, nenhum país das Américas tinha chegado ‘a qualquer colocação do pódio, sempre dominado por europeus (dois países asiáticos já ficaram em segundo e terceiro lugar). A França é a recordista do topo do pódio, sete vezes campeã, seguida da Noruega, pentacampeã. Em 2017, os EUA ganharam o troféu ouro.

BRASIL EM 10º LUGAR EM 1997 na 6.º EDIÇÃO DO BOCUSE d’Or

O Brasil, que já foi à final, em Lyon, nove vezes, teve como melhor colocação a 10ª posição, em 1997. O Brasil conseguiu em 28/01/97, um honroso décimo lugar no 6º Bocuse d’Or. Representou o país o chef Antonio Francisco “Naim” dos Santos e seu ajudante, Rodrigo Martins. Luis Walter Incao, chefe da cozinha do Copacabana Palace, foi o representante brasileiro do júri e o chef Jorge Monti de Valsassina(presidente da ABAGA) foi o Diretor Técnico – Seleção Cozinha Brasileira.

A performance de Naim foi exemplar, mantendo admirável concentração e frieza durante as cinco horas e meia de tempo concedido para a tarefa. “A pressão é muito grande, e qualquer pequeno erro poderia ser fatal”, conta Naim. Foi emocionante presenciar um brasileiro de origem humilde e que começou a carreira como faxineiro de cozinha enfrentar de igual para igual europeus formados em escolas de alto nível e com acesso a informação de ponta.

A equipe brasileira em Lyon 2017: Ao centro Giovanna Grossi (15.º lugar), com o chef Laurent Suaudeau, presidente do Bocuse d’Or Brasil

Em fevereiro de 2016, a alagoana Giovanna Grossi, 24 anos, que já trabalhou em restaurantes estrelados na Europa, como o Quique DaCosta, venceu a etapa final latino-americana do concurso na Cidade do México tornando-se a primeira mulher a vencer o Bocuse D’Or pelo Brasil, classificando-se para a final na França, em Lyon 2017. Em outubro de 2015, Giovanna venceu a etapa brasileira no Sirha RJ e ganhou a chance de disputar a latino-americana no México. O prêmio foi de 8.000 euros. Jessika Toni, uruguaia, ficou em segundo lugar, e Marcos Saenz Gonzalez, guatemalco em terceiro. Os três foram para a final em Lyon, na França, em janeiro de 2017, quando 24 países disputaram o pódio no ano em que o campeonato completou 30 anos.

Para Vania Tavares, diretora geral da Fagga l GL events Exhibitions, a experiência da equipe é decisiva para o sucesso do Salão Internacional SIRHA SP. “Cada evento é tratado individualmente, com uma equipe bi-nacional dedicada e focada em assegurar os mínimos detalhes”. No principal polo da gastronomia brasileira, o evento vem com a expertise internacional para valorizar o segmento de restauração e hospitalidade com o mais prestigiado concurso no mundo: as seletivas nacionais do Bocuse d’Or.

Luana Cloper, Show Mananger do SIRHA SÃO PAULO 2018

Para a Diretora Geral do Sirha, Luana Cloper, é um evento totalmente business to business. O conteúdo oferecido traz simultaneamente inovação tecnológica, concursos, aulas e degustações. É isso que torna o Sirha uma feira única

O Sirha está desenvolvendo projetos e parcerias com câmaras de comércio de países como França, Espanha e Chile para trazer maior oferta de produtos desses países. Nesta próxima edição a feira também contará com rodadas de negócios, oportunidade para realizar contatos com quem decide, facilitando a concretização de negócios.

O Sirha conta com o “Espaço do Terroir Brasileiro”, uma oportunidade para pequenos produtores de diversos estados do Brasil mostrarem seus produtos aos chefs e compradores do mercado. É fruto de uma parceria estratégica com o Sebrae Nacional e ganhou destaque nas últimas edições, chegando a ir para Lyon em janeiro deste ano, na edição francesa do Sirha.

Quem é quem no Sirha São Paulo 2018

Claude Troiagros (Presidente do Sirha), Laurent Suaudeau (Presidente do Concurso Bocuse d’Or) e Daniel Boulud (Presidente Internacional do Juri)

Chef Flávia Quaresma (Presidente de Honra do Coupe du Monde de la Pâtisserie), Chef Rafael Barros (Presidente do Concurso CMP) e Frederico Samora (Presidente do Talentos do Gelato)

Chef Frederic Monnier (Presidente do Concurso Bakery), Chef Guga Rocha (Mestre de Cerimônia do Sirha SP) e o Chef Geovane Carneiro (Membro do Juri)

Veja os chefs renomados que você poderá encontrar no Sirha 2018 aqui

Encerramento do Bocuse D’Or 2017, nos seus 30 anos, com a equipe norte americana saindo vencedora.

PATROCINADOR PRATA DO SIRHA 2018: