ETAPA BRASILEIRA DO BOCUSE D’OR OCORRE EM 16 DE MARÇO, DENTRO DA PROGRAMAÇÃO DO SIRHA SÃO PAULO

13/03/2018

Concurso mais importante da alta gastronomia no mundo traz chef Daniel Boulud como presidente de honra do júri

Após vencer as etapas nacional e continental do concurso, a chef Giovanna Grossi torna-se presidente do comitê Bocuse d’Or

O concurso mais celebrado mundialmente na alta gastronomia, o Bocuse d’Or, terá sua etapa brasileira realizada no Sirha São Paulo, no dia 16 de março. O renomado chef Daniel Boulud será o Presidente de honra do júri que irá avaliar os quatro chefs concorrentes a duas vagas na etapa continental, que irá ocorrer em abril, no México. Este ano, o evento presta uma homenagem a seu fundador e patrono, o chef francês Paul Bocuse, o criador da nouvelle cuisine. O concurso prestigia sua prata da casa, a chef alagoana Giovanna Grossi, primeira e única mulher campeã das etapas brasileira e continental. Após disputar a grande final do concurso em Lyon, no ano passado, ela agora passa a ocupar a presidência do comitê Bocuse d’Or, aos 26 anos.

Giovanna tem como conselheiro o renomado chef francês Laurent Suaudeau – que ajudou em sua preparação, na época em que competiu. “Nossa luta é para que a gastronomia brasileira seja transmitida para o mundo, pois não somos só pão de queijo e caipirinha. Aceitei a presidência como um grande desafio. Formamos um novo comitê com o incentivo de Laurent e é muito importante tê-lo como conselheiro. Temos muito a aprender com esses grandes nomes”, elogia a alagoana, fazendo, ainda, sua própria homenagem a Paul Bocuse: “Ele nos deixou a lição de valorizar o que é da terra”

O vice-presidente do Comitê Bocuse d’Or é o chef e consultor Victor Vasconcellos, que será acompanhado por outros grandes nomes da gastronomia brasileira, como Andrews Valentim, Bel Coelho, Onildo Rocha, Geovane Carneiro, Guga Rocha, Thomas Troisgros e Ivan Ralston. Entre os jurados, uma reunião de mestres da cozinha. Além de Daniel Boulud – chef e proprietário do restaurante Daniel (NY), que ostenta duas estrelas Michelin, e de vários outros empreendimentos gastronômicos em quatro países – o time de chefs é composto por Helena Rizzo – como presidente do júri –, Thierry Buffeteau, Felipe Bronze, Gabriel Matteuzzi, Emmanuel Bassoleil, Rodrigo Martins, Oscar Bosch, Ana Luiza Trajano, Roberta Sudbrack e Bruno Rappel.

Quatro jovens talentos da gastronomia vão cozinhar, ao vivo, aos olhos do público do Sirha São Paulo. O ingrediente obrigatório deste ano para a categoria peixes é o Salmão do Alasca, fornecido pelo patrocinador Alaska Seafood, enquanto para a categoria carne é o Porco Mangalitsa, oferecido pelo Consulado da Hungria e pela Bassar Carnes Premium. Ambos poderão vir com até três acompanhamentos de livre escolha e cada candidato terá duas horas e 30 minutos para preparar a receita. Entre os quesitos que serão julgados estão a apresentação do prato e o sabor.

Luiz Filipe de Azevedo e Souza, da capital paulista; Ricardo Dornelles, da capital gaúcha; Marcelo Milani, de São Caetano do Sul (SP); e Danilo Takigawa, de Presidente Prudente (SP) foram os selecionados na última etapa regional do Bocuse d’Or e irão competir no dia 16 de março, no Sirha São Paulo, a se realizar no Pavilhão 4 do São Paulo Expo.

O Concurso

Criado em 1987 por Paul Bocuse, o Bocuse d’Or reúne, a cada dois anos, em Lyon, 24 promissores jovens chefs dos cinco continentes. Os finalistas são determinados após 18 meses de etapas seletivas, em 63 países. Mais que uma mera competição, o Bocuse d’Or é um verdadeiro show de talentos da gastronomia. Considerado inovador desde sua criação, foi o primeiro concurso em que os candidatos preparavam o prato ao vivo, na frente da plateia e dos jurados. Em 2017, o concurso completou 30 anos.

Patrocinadores

A Cielo é patrocinadora máster do Bocuse d’Or. A Bragard, a Agrobonfim, a Ajinomoto, a Alaska Seafood, a Bassar Carnes Premium, o Consulado da Hungria e a Nespresso são patrocinadores Gold do concurso.

Júri

Daniel Boulud – Presidente de Honra do Júri do Bocuse d’Or – Francês radicado em Nova York, Daniel Boulud coleciona prêmios e sucessos como chef e empreendedor na gastronomia. É proprietário do Daniel, restaurante que ostenta duas estrelas Michelin, em Manhattan, além de outros empreendimentos que levam seu nome por quatro países – Estados Unidos, Canadá, Inglaterra e Singapura. Em 2008, a pedido de Paul Bocuse, Boulud ajudou a reunir talentos da gastronomia para o primeiro Bocuse d’Or nos Estados Unidos.

Helena Rizzo – Presidente do Júri do Bocuse d’Or – Filha de mãe artista e pai engenheiro, Helena Rizzo nasceu em 1978, em Porto Alegre. A verve artística da gaúcha manifestou-se, primeiramente, numa breve passagem pela Faculdade de Arquitetura. Aos 18 anos, decidida a experimentar a vida fora da casa dos pais, Helena mudou-se para São Paulo. Enquanto fazia alguns trabalhos como modelo, foi garçonete da banqueteira Neka Menna Barreto e estagiou na cozinha dos restaurantes Roanne, de Emmanuel Bassoleil, e Gero, do Grupo Fasano.

De volta a São Paulo, Helena recebeu de amigos a proposta de abrir um restaurante. Em 2006, nascia o Maní. Á frente da casa por 11 anos, Helena e Daniel desenvolvem uma cozinha contemporânea calcada em ingredientes simbólicos da cozinha brasileira. Suas criações, ora grandiosas, ora prosaicas, refletem memórias e o amor pelo produto. No início de 2017, Daniel desligou-se do Maní para desenvolver novos projetos, e Helena seguiu à frente do restaurante e das outras casas do Grupo Maní.

Comitê

Giovanna Grossi - Chef Presidente do Comitê Bocuse d’Or - Vencedora das etapas Brasileira e Latino Americana do concurso de gastronomia Bocuse d'Or, Giovanna Grossi também acumula grandes experiências fora e dentro do país. Já trabalhou em renomados restaurantes da Europa: Espai Sucre, em Barcelona, na Espanha; Les 110 Taillevent, em Paris, na França; Maison Pic - restaurante 3 Estrelas Michelin; e no premiado restaurante Quique da Costa, em Barcelona - também 3 Estrelas Michelin. Giovanna começou a carreira dentro da cozinha com 18 anos, se formou em gastronomia em São Paulo e logo depois, em 2013, foi estudar em uma das maiores escolas de gastronomia do mundo: o Instituto Paul Bocuse, em Lyon, na França. Com 23 anos, foi campeã da etapa brasileira do concurso de gastronomia Bocuse d’Or e foi a única mulher e a mais jovem vencedora dessa disputa no Brasil. Em 2016, outra conquista inédita: a primeira mulher a vencer o Bocuse d'Or América Latina e disputar o Bocuse d'Or Lyon, competição mundial, considerada pelos especialistas como a copa do mundo dos chefs.

Laurent Suaudeau - Chef Conselheiro do Comitê Bocuse d’Or – Radicado no Brasil desde 1980, Laurent veio a convite do famoso chef Paul Bocuse para trabalhar no Le Saint Honoré, restaurante conceituado da rede Meridien, no Rio de Janeiro. Ao chegar ao Brasil, descobriu ingredientes exóticos e ao mesmo tempo ricos em sabores como o cupuaçu, mandioquinha, manga e maracujá. Começou então uma nova fase na gastronomia nacional e o brasileiro passou a consumir ingredientes locais de uma outra forma.

Victor Vasconcellos - Chef Vice-Presidente do Comitê Bocuse d’Or – Enquanto se prepara para comandar a cozinha do restaurante que o chef Rodrigo Oliveira abrirá em Los Angeles, Victor Vasconcellos se dedica ao Comitê Bocuse d`Or, do qual acaba de assumir a vice-presidência, após ser seu colaborador nos últimos três anos. O cozinheiro também é proprietário do restaurante Feed Food, em Pinheiros, ao lado da esposa Adriana Cymes. Formado em Gastronomia pelo Senac de Águas de São Pedro e pupilo do chef francês Laurent Suaudeau, com quem aprendeu e se apaixonou pela técnica francesa, Victor já trabalhou com outros chefs prestigiados como Renata Braune e Russo, que faleceu em 2010. Por 7 anos, chefiou a cozinha do Bar Número e, nos anos de 2014 a 2016, foi chef-executivo da FIESP, Federação das Indústrias do Estado de São Paulo. O paulistano que cresceu em Sorocaba é louco por motos, cafés e conservas, sua mais recente descoberta. Entre seus pratos que mais fizeram sucesso e deixam saudades estão a Costela laqueada, o Risoto de pato com baunilha e as impecáveis coxinhas.

Candidatos

Daniel Nakamura - Natural de Presidente Prudente, interior de São Paulo, Danilo é formado em administração de empresas. Em 2015, decidiu levar adiante seu projeto com a gastronomia e, para tanto, frequentou o curso de chef de cuisine e restauranteur. Na mesma época, trabalhou no restaurante Manu, onde vivenciou experiências que tiveram grande relevância para sua formação como cozinheiro. Teve a oportunidade de estagiar no restaurante Central, em Lima, no Peru, e atualmente está à frente do restaurante campestre da Vinícola Araucária, em São José dos Pinhais.

Luiz Filipe Souza - Formado em administração, Luiz Filipe Souza achou na gastronomia a reconexão que buscava. Em 2009 conseguiu um estágio no restaurante Fasano, onde conheceu o chef Salvatore Loi, seu mentor e maior responsável por incentivá-lo no universo gastronômico. Foi então que o jovem decidiu cursar gastronomia e, três anos depois, partir para uma especialização em cozinha de baixa temperatura em Nova Iorque. De volta ao Brasil, foi convidado a fazer parte da equipe do Girarrosto e um ano depois, desta vez já como sous-chef, participou da abertura do Mozza, partindo, em seguida, para o Ristorantino.

Ricardo Dornelles - Ricardo Dornelles decidiu desde cedo que seu futuro seria na gastronomia. E não mediu esforços para aprender tudo o que pôde dentro de uma cozinha. Após passar por restaurantes de Porto Alegre, Ricardo dedicou-se exclusivamente, por anos, à competição na área. O resultado: terceiro lugar na WordlSkills 2015 – maior competição de educação profissional do mundo, na ocupação Cozinha. Hoje, além de ser treinador do evento, atua como docente da Faculdade Senac Porto Alegre.

Sobre o Sirha São Paulo

O Sirha (Salon international de la restauration, de l'hôtellerie et de l'alimentation), principal evento internacional para profissionais de foodservice e hotelaria chega a sua terceira edição brasileira. Será de 14 a 16 de março no São Paulo Expo com expectativa de reunir 15 mil pessoas durante os três dias, além de 250 expositores e marcas brasileiras e internacionais. O grande diferencial do Sirha é a programação tão diversificada que atrai profissionais do setor que querem ter acesso ao conteúdo, às inovações tecnológicas, concursos, aulas e degustações.

Entre as diversas ativações que acontecem durante a feira, os concursos de gastronomia e confeitaria são de grande destaque e este ano trazem novidades. O Bocuse d’Or, um dos maiores concursos de alta gastronomia do mundo, passa a ser presidido por Giovanna Grossi. A jovem chef alagoana foi a vencedora brasileira e latino-americana das últimas edições e representou o Brasil na grande final mundial em 2017, em Lyon. Daniel Boulud, o chef francês à frente de um império de restaurantes e dono de diversas estrelas Michelin, será o presidente do júri.

Para auxiliá-la neste trabalho, Giovanna convocou consagrados chefs de todo o Brasil para comporem o Comitê Bocuse d’Or Brasil: Bel Coelho, Geovane Carneiro, Guga Rocha, Ivan Ralston, Onildo Rocha e Thomas Troisgros. Durante a prova da seletiva brasileira, quatro competidores terão 5 horas e 35 minutos para executar dois pratos, um com peixe – o salmão - e um com porco mangalitsa, originário da Hungria. O vencedor desta etapa participará da Seletiva das Américas 2018 do concurso em busca de uma vaga na final mundial.

A Coupe du Monde de la Pâtisserie também tem uma grande novidade. O chef confeiteiro Rafael Barros é o novo presidente da competição. Ele também escolheu um time de especialistas na arte da confeitaria para o comitê do concurso. São eles: Philippe Brye, Flavia Quaresma, Ramiro Bertassin, Tati Benazzi, Alexandre Augusto e Lu Neves. Este ano, o tema do concurso é “Floresta Encantada” e os quatro competidores terão seis horas para completar provas com foco em açúcar ou chocolate, dependendo da categoria em que se encaixem. O júri dará a palavra final sobre os dois confeiteiros que passarão para a etapa continental, no México.

O Talentos do Gelato, concurso exclusivo da versão brasileira do Sirha e que teve sua estreia na última edição da feira, terá nova etapa. Com coordenação do mestre sorveteiro Frederico Samora, o regulamento prevê a preparação de um item inusitado com o gelato, os finger food salgados, além de cubas decoradas e tortas geladas.

Uma das grandes inovações desta edição do Sirha é a apresentação de um Hotel Modelo, uma concepção pioneira desenvolvida em parceria pela Samba Hotéis, Eurobras e Pokt Design + Arquitetura. O projeto Samba in the Box levará ao público e aos possíveis investidores uma alternativa rápida e criativa para hospitalidade. Partiu-se do conceito que utiliza contêineres na produção de edificações residenciais, que vem ganhando cada vez mais espaço no Brasil e no mundo. Considerando a ideia de que hotéis são casas de caráter temporário, o projeto tem a intenção também de criar ambientes em que os hóspedes possam se sentir confortáveis e seguros, como no interior de seus lares. Para isso, foram escolhidas definições claras e objetivas para os espaços de circulação e permanência, com materiais de acabamento clássico, como madeiras e carpetes, aliando-os à novidade das paredes e forro de materiais não convencionais.

O Sirha São Paulo, que tem patrocínio Gold da Cielo e a Avianca como transportadora oficial, oferece uma grande quantidade de conteúdo relevante para seu público. Em parceria com a CNC (Confederação Nacional do Comércio e apoio da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação), o Seminário Senac de Gastronomia: Saberes & Sabores - a hotelaria põe a mesa acontecerá durante os 03 dias de evento. Referência em educação profissional para o Turismo e a Hospitalidade, o Senac reunirá durante o Sirha renomados profissionais da Gastronomia para apresentar e debater as melhores soluções para incremento e valorização dos serviços de alimentação em hotéis, bares e restaurantes.

Outra novidade é o Bar Sirha, um espaço inédito onde marcas nacionais e internacionais vão expor seus produtos de forma atraente, através da apresentação de conteúdo exclusivo, palestras, demonstrações e harmonizações envolvendo temáticas de café, vinho, cerveja e mixologia. A ativação contará com a curadoria da Carolina Oda, professora e consultora para implantação de marcas e negócios, serviço de sala e de bebidas.

O Sirha conta ainda com o Terroir Brasileiro, uma oportunidade para pequenos produtores de diversos estados do Brasil mostrarem seus produtos aos chefs e compradores do mercado. Fruto de uma parceria estratégica com o Sebrae Nacional, o espaço ganhou destaque nas últimas edições, chegando a ir para Lyon em janeiro de 2017, na edição francesa do Sirha. Este ano serão 60 expositores de todo o país onde a aposta serão “ilhas” com queijos especiais, vinhos e cafés, além de produtos que apresentam um apelo gourmet e que são oriundos de localidades distintas do país, mas que retratam o jeito brasileiro de ser.

Patrocinadores

O Sebrae, a CNC, o Senac Nacional são os patrocinadores máster e a Cielo é patrocinadora Gold do Sirha São Paulo. A Avianca é a transportadora oficial do evento.

Sobre o Sirha Lyon

Em sua última edição, em janeiro de 2017, o Sirha Lyon bateu recordes. Em cinco dias, foram mais de 200 mil profissionais, entre eles 25 mil chefs de cozinhas, aumentando em 10% o público presente em relação a edição anterior. O evento contou com mais de 3 mil expositores franceses e internacionais, com o que há de mais inovador em maquinários e tendências para os próximos anos.

Sobre a GL events

A GL events é um dos maiores grupos do setor de eventos no mundo, com sede em Lyon e faturamento de 942 milhões de euros em 2015. A companhia está presente em 53 cidades espalhadas por 19 países, nos quais administra 40 espaços para eventos. Com 4250 colaboradores, o grupo já realizou mais de quatro mil eventos.

Com escritórios no Rio de Janeiro, São Paulo e Paraná, a GL events administra um portfólio de 12 empresas e é o único grupo da América Latina a trabalhar em toda cadeia da produção de eventos: da concepção, administração de espaços, design, construção, fornecimento de estrutura, serviços de catering até hospedagem, organização de exibições e produção de brand events.